Avisos Paroquiais
Receba nosso informativo diretamente em seu e-mail.
Cooperativa São Vicente inaugura primeira usina de reciclagem de óleo vegetal

06/01/2011

Aridiane de Andrade | redação Jornal Expressão

A Cooperativa de Reciclagem São Vicente inaugurou no dia 8 de dezembro, a primeira usina de reciclagem de óleo vegetal. Em parceria com o Instituto Camargo Corrêa (ICC), a usina de reciclagem vai contribuir com a renda dos cooperados por meio da reciclagem e comercialização de óleo vegetal para a produção de biodiesel.

A iniciativa faz parte do projeto Óleo Vale, do programa Futuro Ideal do ICC, e reciclará 60 mil litros de óleo usado por mês. A parceria ainda tem o apoio da Paróquia São Vicente de Paulo, da construtora Camargo Corrêa, Promon, MPE, e Aliança Empreendedora.

“Trabalhar para que o meio ambiente seja cada vez menos impactado pelas ações do homem é um dos objetivos do Futuro Ideal”, aponta Francisco Azevedo, diretor-executivo do ICC. “A iniciativa de pensarmos, buscarmos e discutirmos soluções inteligentes e sustentáveis para o descarte de materiais, redução e otimização de consumo é primordial, hoje, para que os recursos naturais continuem a existir nas gerações posteriores a nossa”, completa Azevedo.

O projeto

Criado em 2009, o projeto Óleo Vale trabalha para diminuir o impacto do descarte de óleo de cozinha. Segundo pesquisa da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), um litro de óleo é o suficiente para inutilizar 14 mil litros de água potável. Por ter propriedades de impermeabilização, quando descartado no solo, o óleo dificulta o processo de absorção da água e, além disso, durante sua composição, é emitido gás metano para a atmosfera.

Para seguir adiante, o projeto conta com o apoio da sociedade. O óleo a ser reciclado será coletado em bares, restaurantes, estabelecimentos comerciais, residências e indústrias da região do Vale do Paraíba, passa por diversos processos como filtragem, aquecimento e limpeza, que retiram 99,9% das impurezas, água ou outras substâncias que possam impedir a reciclagem do óleo.

Para implantar a unidade, foi feito um investimento de R$ 420 mil para compra de maquinários, veículos e para a construção da unidade de alvenaria, compra de equipamentos de segurança, contratação de assessoria para implantação do plano de negócios e coleta do óleo vegetal usado. Por meio da estruturação proporcionada pelos recursos doados, hoje, a Cooperativa conta com 140 m² e, através do processo de reciclagem praticado, estima-se que as 36 famílias envolvidas tenham um incremento de, no mínimo, R$ 250 na renda familiar.

Até o momento, já foram capacitados quatro cooperados para a operação da unidade de processamento de óleo e já está sendo feita a compra do óleo vegetal de duas Cooperativas do Comitê dos Catadores do Vale do Paraíba. Também foi realizada a mobilização e informação da comunidade local para que doem o produto para reciclagem e, além disso, por meio de crédito do Fundo de Crédito, foram recebidos R$ 260 mil para construção da unidade de processamento e para a compra e adaptação do veículo que fará a coleta.

O Jornal Expressão entrevistou Renato Correa Netto, Engenheiro Mecânico, mestre em Ciências Ambiental para esclarecer um pouco mais os benefícios da reciclagem do óleo vegetal. Acompanhe abaixo:

JE- Quais os problemas causados por uma destinação errada do óleo de cozinha?
Renato Correa Netto - Primeiro que óleo na tubulação e ralos traz insetos para dentro das residências e ainda pode causar entupimento. Com isso usa-se produtos químico para desobstruir o encanamento o que também é prejudicial ao meio ambiente. Porém o principal problema é quando esse óleo chega ao corpo aquático – rios, lençóis fluviais, córregos, etc. – Sendo que cada litro de óleo polui em média 25 mil litros de água. Com isso há muita dificuldade de se encontrar oxigênio nas águas o que impede os organismos de terem vida no rio. Uma outra forma errada de se descartar o óleo é colocá-lo em garrafas plástica e jogar no lixo. Esse óleo no aterro sanitário libera Metano o que é gera um calor 21 vezes maior que o CO2 – sendo assim muito nocivo e aliado dos gazes que provocam o efeito estufa.

JE - Quais os benefícios do biodiesel? E como pode ser usado?
Renato Correa Netto - O Biodiesel não é a única forma de se utilizar o resíduo do óleo vegetal, mas é uma ótima alternativa, pois usando o biodiesel não se usa o petróleo que é uma fonte não renovável de energia. Alem disso a soja que liberou CO2 para crescer será reutilizada podendo diminuir o efeito estufa.
Uma outra forma de utilização do resíduo do óleo é a queima direta, por empresas e indústrias que o utilizam sem tratamento e sem química. Este óleo ainda pode ser utilizado em massa de vidraceiro, incorporado em ração de alguns animais, entre outros. No Brasil o governo permite apenas a Petrobras a comercializar o biodiesel, então eles recebem o óleo e adicionam 5% ao diesel. Para o ano que vem há um projeto de que 6% do diesel seja biodiesel.

JE - Qual a sua opinião sobre essa iniciativa?
Renato Correa Netto - Esta é uma ótima iniciativa. Durante meus estudos percebi que a população tem vontade de colaborar com a preservação do planeta, quer reciclar o óleo, mas muitas vezes não sabem como.

Voltar

 
| Política de privacidade © 2009 - 2017 Paróquia São João Bosco. Todos os direitos reservados.